10 maneiras como os cientistas estão usando seus smartphones para salvar o mundo

Segredos do Adsense

Hoje em dia, quase todo mundo está carregando um computador muito poderoso em seu bolso. Smartphones permitem-nos estar sempre ligados com a maior coleção de informações que se possa imaginar. O fato de que todo mundo tem sua própria versão de mini-supercomputador não deixou de fora os cientistas, que vieram com uma série de novas maneiras de como usar smartphones para mudar o mundo.

10 Monitoramento da Poluição

dv067014

Cientistas da Universidade da Califórnia desenvolveram um pequeno complemento para smartphones para monitorar a poluição do ar. O sistema usa um aplicativo chamado CitiSense para coletar dados dos sensores e permite uma imagem de qualidade do ar a ser construído. Dessa forma isto pode ser visto não apenas por aqueles com os sensores, mas por outros usuários também. Asmáticos, por exemplo, podem descobrir se eles devem evitar uma determinada área naquele dia. Ele também permite que os cientistas monitorem a poluição em maior detalhe. Em San Diego, onde os primeiros ensaios foram realizados, existem apenas 10 tradicionais estações de monitorização da poluição. Pesquisadores dizem que se apenas 100 de 3,1 milhões residentes da área usarem o dispositivo, haveria uma grande quantidade de dados caso contrário seria impossíveis reunir essas informações. Psicólogos e cientistas de computação da Universidade de Cambridge se uniram para criar um aplicativo que foi desenvolvido para permitir a investigação sobre a forma como nosso humor funciona e eventualmente ajudar as pessoas a viver sua vidas mais felizes. O aplicativo, conhecido como EmotionSense, pede regularmente as pessoas sobre o seu estado de espírito, além da coleta de dados sobre a sua localização, quão sociáveis eles estão sendo com o envio de textos, e quanto tempo eles estão usando seus telefones em geral. Ao combinar esses dados, que permite aos pesquisadores entender a relação entre o comportamento de uma pessoa e seu estado de espírito. Ele também fornece informações que podem ajudar alguém que sofre de stress. Os cientistas por trás da aplicação fornece um monitoramento constante do bem-estar do usuário, o que normalmente não seria disponível para as pessoas em tratamento.

9 Microscópio portátil

microscope

Um microscópio portátil que pode ampliar a imagem de um único vírus foi criado por cientistas da UCLA. Encaixa-se na parte traseira de um aparelho e é designado para ser usado em locais que o equipamento de laboratório tradicional não está disponível. Um possível uso é para medir a carga viral em amostras do paciente para que os médicos em áreas remotas possam monitorar a eficácia dos tratamentos.

Um dispositivo de imagem microscópica pouco menos potente foi desenvolvida por engenheiros da Berkeley. Bem como aplicações potenciais da pesquisa de campo, eles acreditam que os dispositivos possam ser bons para a comunidade em geral e com isso em mente deram a um grupo de crianças em idade escolar. As crianças levaram as imagens de itens de seu ambiente cotidiano e fizeram anotações direto para o smartphone. As pessoas por trás do dispositivo esperam que ele possa se tornar uma parte valiosa da sala de aula de ciências.

8 Terremoto

earthquake

Smartphones de hoje contém um dispositivo conhecido como um acelerômetro MEMS. É o que descobre que caminho é para cima e vira a tela de acordo com a conformidade. Os sismólogos do Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia da Itália usaram o chip MEMS de um iPhone 4 e 5 para medir forças sísmicas. A ideia de transformar smartphones em uma rede de sismógrafos permitirá que as equipes de emergência identifiquem rapidamente o epicentro de um terremoto e obtenham recursos para os lugares mais rapidamente. Os trabalhos anteriores mostraram que os acelerômetros podem dizer a diferença entre as vibrações dos terremotos e movimentos cotidianos, como correr por exemplo.

Outros cientistas esperam usar a tecnologia para criar uma rede de alerta precoce. Coleta de dados de um grande número de telefones que permitem aos cientistas prever quando um terremoto vai acontecer e em seguida enviar um aviso para qualquer pessoa que tenha o aplicativo instalado. Sistemas de alerta de terremotos têm sido mostrados para salvar vidas, por isso utilizam smartphones que é uma maneira barata de introduzir a tecnologia para áreas sem a necessidade de novo hardware.

7 Acessórios médicos

glasses

A abundância do poder da computação móvel prestado por smartphones está sendo posto em prática, ajudando médicos em áreas onde eles não têm acesso a laboratórios e hospitais. Um dos maiores problemas dos países em desenvolvimento é a baixa visão. Condições de refração ocular, o tipo que são facilmente corrigido com óculos, afetam bilhões de pessoas. Elas podem levar a uma incapacidade de ler e escrever. Cientistas do MIT criaram um dispositivo que se uni a um smartphone. Usuários colocam isso em seus olhos e o sistema usa lasers para diagnosticar o problema com o olho e se é necessário corrigi-lo. O dispositivo custa apenas $ 2 dólares para produzir e poderia melhorar a vida de inúmeras pessoas.

A visão é apenas um de uma série de coisas que podem ser verificados com um acessório para smartphone. infecções de ouvido, função renal e a presença de alérgenos em alimentos tudo pode ser testado com complementos disponíveis para smartphones. Os smartphones também formaram a espinha dorsal com ultra-som portátil a preços acessíveis, o que ajudará os médicos e parteiras nos países em desenvolvimento prestar cuidados a gestantes.

6 Previsão do tempo

177426273

Usando satélites para monitorar o tempo muitas vezes pode funcionar com uma certa dificuldade particular. Do espaço, é difícil dizer a diferença entre uma paisagem de neve e cobertura de nuvens. Para combater isto um app para iOS foi criado conhecido como SatCam. O aplicativo recebe um alerta quando um satélite meteorológico está passando por cima de você. O usuário, em seguida, usa a câmera do telefone para tirar uma foto olhando para cima, e também uma para o horizonte. Desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Wisconsin, o aplicativo já foi utilizado para enviar milhares de imagens para ajudar na previsão do tempo. Como recompensa por sua ajuda, os usuários recebem uma foto de satélite da área em que estavam quando o satélite passou em cima do usuário. A resolução não é boa o suficiente para que você seja capaz de identificar-se, infelizmente.

5 Coleta de dados de campo

field work

O Departamento de Epidemiologia de Doenças Infecciosas do Imperial College de Londres, desenvolveu um aplicativo conhecido como EpiCollect, que é projetado para permitir que os cientistas que trabalham no campo sejam capazes de coletar dados facilmente. Veterinários da África Oriental têm usado o aplicativo para coletar dados sobre 86 mil animais no período de um mês, usando apenas 23 dispositivos Android doados pelo Google. Os pesquisadores observaram que o uso de telefones melhorou o acesso em tempo real à informação e acreditam que ele irá ajudá-los na prevenção de surtos de doenças.

Outro projeto visando a raiva usou o EpiCollect para manter um registro da localização de 60.000 cães vacinados no espaço de apenas algumas semanas. A localização de cada vacina é apresentada com um marcador no Google Maps, ajudando a equipe de 500 pessoas a manterem um registro do que foi feito em pontos de acesso alvo de forma eficiente

4 Smartphone satélite

phone in space

Dois projetos diferentes lançaram um smartphone em órbita ao redor da Terra. O Centro Espacial de Surrey, no Reino Unido lançou um Google Nexus One em fevereiro, como parte de um satélite chamado Strand-1. O objectivo é apenas para teste e demonstram a capacidade da tecnologia de baixo custo para o consumidor na utilização do espaço. O projeto também tem como objetivo capturar o envolvimento do público, incluindo a execução de um aplicativo chamado “Grito no Espaço”, que irá reproduzir vídeos enviados através da Internet em órbita.

NASA lançou o seu próprio satélite por telefone em órbita poucos meses depois do Strand-1. Seus objetivos são os mesmos que para a equipe do Reino Unido, e ambos estão incentivando os operadores de rádio amadores em todo o mundo para rastrear seus satélites. A câmera do telefone do PhoneSat da NASA (também um Nexus) tem sido usada para tirar fotos da Terra. Os satélites custam cerca de US $ 7.000 para se produzir, contra US $ 1 milhão a mais que é gasto com na produção de um satélite convencional.

3 Ciência Coletiva

121371451

A prevalência de smartphones tem pela primeira vez aos cientistas a oportunidade de usar o público em geral para coletar informações. Monitoramento da fauna é uma das maiores formas como as pessoas podem ajudar, com aplicativos disponíveis para acompanhar tudo desde os tipos de espécies de árvores a animais invasores e populações de aves. A NASA também criou um aplicativo que permite aos usuários coletar dados sobre chuvas de meteoros, incluindo o tempo, localização e brilho. A informação é enviada a especialistas para análise, e o app mantém astrônomos amadores sempre atualizado em onde e quando eles estão propensos a se tornarem estrelas cadentes.

2 Estudando a felicidade

download

Psicólogos e cientistas de computação da Universidade de Cambridge se uniram para criar um aplicativo que foi desenvolvido para permitir a investigação sobre a forma como nosso humor funciona e eventualmente ajudar as pessoas a viverem suas vidas mais felizes. O aplicativo, conhecido como EmotionSense, pergunta regularmente as pessoas sobre o seu estado de espírito, além da coleta de dados sobre a sua localização, quão sociáveis eles estão sendo com o envio de textos, e quanto tempo eles estão usando seus telefones em geral. Ao combinar esses dados, que permite aos pesquisadores entenderem a relação entre o comportamento de uma pessoa e seu estado de espírito. Ele também fornece informações que podem ajudar alguém que sofre de stress. Os cientistas por trás da aplicação fornecem um monitoramento constante do bem-estar do usuário, o que normalmente não seria disponível para as demais pessoas em tratamento.

1 Computação em nuvem

cloud

Ciência produz uma grande quantidade de dados, e isso requer uma grande quantidade de poder computacional para processar tudo. Compartilhando o trabalho entre um grande número de computadores é uma forma de conseguir o feito, por isso os cientistas da computação criaram um aplicativo para aproveitar o poder combinado dos mais de um bilhão de dispositivos Android atualmente utilizados em todo o mundo. Nomeado BOINC, o aplicativo aproveita o poder de computação de um telefone quando ele está ocioso, mas em carga quando ligado durante a noite, por exemplo.

Um dos projetos aproveitando o BOINC é FightAIDS@Home, que está desenvolvendo novos medicamentos contra o vírus HIV. É um complemento para o projeto World Community Grid da IBM que utiliza a área de trabalho de computadores portáteis quando estão ociosos. Alugar tempo em um supercomputador pode custar mais de US $ 1.000 por hora, por isso alternativas ajudam os cientistas a fazerem mais com menos dinheiro. Um projeto de pesquisa de uma doença tropical espera ser capaz de usar a rede de smartphone para diminuir o seu tempo de pesquisa de 30 anos para apenas um.

por Alan Boyle
via listverse

Marlon Vaughan é um grande amante de tecnologia e sua variações, trabalha como web developer, e presta consultoria em TI para empresas de Teresina.

Sua vez de falar

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Wordpress SEO Plugin by SEOPressor